Instagram Top Grid

Siga-me no:

Além de ser DELICIOSO andar com o bebê assim, bem pertinho (eu aaaamo slingar!), esse aconchego é mais do que necessário. Afinal, os bebês da nossa espécie são completamente dependentes dos pais e precisam de cuidados em tempo integral.

Esses dias, li um trecho do livro Bésame Mucho, do pediatra espanhol Carlos González, que explica a importâncias de ficarmos grudadinhos com os bebês.

272b3d9498579126f8b315e06a71df49 e3ad1f27677e765c8fc5483450c0b0c0 61675aa77e45c6c438e93e5f01f744eb

fbad58eff85936f4dc6f1b4957203b6b e3ad1f27677e765c8fc5483450c0b0c0 869698161329f722bcc526648f533059 61675aa77e45c6c438e93e5f01f744eb 8f9abd8404989f2b280ee60076625ca8 8e307bc4b4627a8f3419cb28fedc2342 2ac98131ec6e0e27c55d5a712b76439c

“Se os cientistas encontrassem um novo animal, até agora desconhecido, e quisessem averiguar rapidamente (sem necessidade de observá-lo durante semanas) qual é a sua maneira normal de cuidar dos seus filhotes, poderiam fazer um experimento muito simples: levar a mãe e deixar os filhotes sozinhos. Se eles ficam quietos e calados, é porque o normal nessa espécie é que os filhotes fiquem sozinhos. Se começam a gritar como se os matassem, é porque o normal nessa espécie é que os filhotes não se separem da mãe nem por um momento. E seu filho, como reage quando você se afasta dele? O que você acha que é o normal na nossa espécie?”

 

Por mim, slingava as crias para sempre!!!​

0
Compartilhe

Você também pode gostar

Comentários no Facebook