Instagram Top Grid

Siga-me no:

Esse é o segundo ano de mandato da Presidente Dilma e mais um ano de manifestações de pessoas insatisfeitas com o governo. Essas pessoas estão reivindicando diversas coisas e entre elas o impeachment da presidente, mas qual o perfil dessas pessoas e será que elas representam realmente “o povo”?
O Instituto Datafolha, por exemplo, traçou o perfil dos manifestantes e mesmo que estejam em maior quantidade que no ano anterior continuam sendo em sua maioria branca, afortunadas e elitistas. Pessoas que recebem mais de cinco salários mínimos e querem seus privilégios de volta.
E onde estava o povo preto e periférico? Estava a onde a elite os quer, subalternos, assassinados pelo estado, fazendo jornada dupla de trabalho. Tendo em vista que as pessoas da Av.Paulista pediam o fim das cotas, bolsa família e bolsa escola, ações afirmativas que tiraram milhares da pobreza, são as pessoas se incomodam de gastar horrores para dar ensino de primeira qualidade aos filhos e no fim eles estudarem do lado de pretos favelados. São pessoas que estão cansadas de comprarem o carro do ano e o segurança do condomínio ter conseguido financiar o dele também. Elas se incomodam de ter uma mulher no poder. Se me disserem que também havia pessoas pretas na manifestação eu acredito, mas o recorte aqui não é apenas racial, é de classe também, e 77% dos manifestantes declararam ser da cor branca o que prova que mesmo elite, os pretos são minoria. Vamos deixar claro que ninguém aqui é PT e querer um país menos desigual também não é coisa de esquerda comunista.
Claro que não devemos nos calar e aceitar o que o governo tem feito com a classe trabalhadora, que mesmo com muitos avanços no inicio do governo petista agora estamos parados no tempo, mas ir as ruas para pedir a volta da ditadura só mostra a falta de consciência política tanto da elite quanto do proletariado. E é necessário lembrar também que a televisão não é imparcial e as pessoas por trás dela defendem apenas a interesses próprios, e todo esse carnaval travestido de protesto não é sobre corrupção e sim uma disputa de poder, até porque a oposição estava em peso, com direito a fascista, intolerantes religiosos, ladrão de merenda escolar, e políticos “mais citados na Lava Jato que Clarice Lispector no Facebook”.
Essa manifestação só serviu para mostrar o preconceito velado no país. Um homem branco fazendo BlackFace se passando por mendigo, que para muitas pessoas é natural mas não tem noção de como esse é um ato racista, que exclui pessoas negras de peças artísticas e estas são ridicularizadas.
Sem Título-1

A xenofobia e o racismo com o povo nordestino.

Sem Título-2

É um absurdo compararem uma movimentação que ataca os direitos humanos com as Diretas Já.

Sem Título-3

Sem Título-4

 

E mais absurdo ainda um país com passado escravagista, onde havia amas de leite, empregadas domesticas, e escravas sexuais dos senhores brancos não se indignar com a imagem abaixo. Achar natural o fato de que em um movimento burguês haja babas negras, e que essas só estão “trabalhando” em pleno domingo e que estão ali por opção. Mas eu digo a vocês, não é opcional, essas mulheres são designadas a esses serviços desde o Brasil colônia e ninguém se pergunta se elas tiveram oportunidades, se não queriam ser professoras ou medicas, por mais que baba ou empregada sejam profissões como qualquer outra, nenhum papai branco vai mandar a filha pra faculdade com a intenção de vê-lo se tornar diarista, por que com os negros tem que ser diferente?

Sem Título-5

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1749640-protesto-cresce-mas-manifestante-mantem-perfil-de-alta-renda.shtml
fonte das imagens: Humans of Protesto

assinatura Sá ollebar

0
Compartilhe

Você também pode gostar

Comentários no Facebook